Kodak lança digitalizador de filmes portátil e barato

É muito engraçado pensar que a fotografia entrou para o mundo digital pela mão dos “scanners” e não pelas câmeras digitais. No começo esses digitalizadores eram muito importantes pois as fotos eram obtidas em filme convencional e transformadas em arquivos JPGs ou Tiff para serem tratadas no Photoshop ou publicadas nos primórdios da Internet.

 

 

Scanners eram equipamentos caros e especializados, mas com o surgimento da fotografia digital se tornaram quase desnecessários. Foi aí que os Chineses começaram a produzir uma série de scaners portáteis de baixo preço. Esses equipamentos são basicamente câmeras digitais montadas em um suporte para filmes e slides, e não equipamentos que fazem varredura de imagem como os digitalizadores convencionais.

A Kodak (ou uma de suas licenciadas) acaba de lançar um desses equipamentos portáteis, a Kodak Scanza.



O scanner de filme e negativos é compacto, tem dimensões de apenas 12cm x 12.7cm. Como características principais tem uma tela colorida de 3,5 polegadas, um slot de cartão SD integrado para gravar as imagens digitalizadas, bandejas de adaptadores para diferentes tipos de filmes e uma porta HDMI para visualizar o conteúdo digitalizado diretamente em uma tela de TV.

O digitalizador pode receber negativos e slides de filme do tipo 35mm, 110 (aquele da Kodak Xereta), Super 8 e 8mm através de inserções e adaptadores. O conteúdo é escaneado como arquivo JPEG com 14 Megapixels, embora as imagens possam ter resolução até 22 Megapixels por meio de interpolação.

Ajustes como os de cor e brilho podem ser feitos na própria tela do Kodak Scanza.

 

Kodak Scanza sendo utilizado

 

O preço de venda do equipamento deverá ser o volta de US $170,00 dólares, o que é um pouco acima do preço dos equipamentos concorrentes. A questão que não quer calar é quanto a qualidade da digitalização.

Por enquanto a Kodak só anunciou o scanner sem publicar arquivos de amostra, mas muitos usuários desse tipo de digitalizador portátil reclamam que as imagens resultantes não são boas. Na prática esse tipo de scanner é uma câmera digital baratinha com um sistema de lentes básicos e raramente algum usuário diz que consegue extrair todo o potencial de um filme negativo ou de um slide.



Eu não vou dar muita opinião sobre o assunto não, pois nunca me dei bem com scanners… Tenho um HP G4050 do tipo “flat bed” (de mesa) que custou os olhos da cara e que nunca me deu um resultado que me satisfizesse, hehehe.

Então, se você ficou interessado, visite o site da Kodak americana para conhecer melhor o produto.

Veja também um vídeo do canal Enter.co mostrando o equipamento no lançamento na CES2018. Ele está em espanhol, então “dudo que usted necesita subtítulos para entenderlo”!