Como escolher um celular com câmera em 2017

Você já deve ter ficado perdido tentando escolher um smartphone que funcione bem, fotografe bem e que não leve você à falência, não ficou? Uma certa amiga minha está se descabelando porquê seu amado smartphone LG G4 pifou de vez e agora ela está brigando com o marido para ver quanto vão gastar para manter seu vício em redes sociais e sua adoração por fotos.

Bem, como quero ajudar resolvi fazer um pequeno guia sobre coisas que você deve levar em conta antes de comprar um smartphone novo para fazer de tudo, menos telefonar!

 

Memória RAM

Quase ninguém leva isso em conta mas é um dos detalhes mais importantes nos smartphones hoje em dia. Tem a mesma função que a memória RAM de um PC ou notebook, ou seja, quanto maior mais fluidez os aplicativos terão para rodar.

No Brasil os smartphones topo de linha vem com 3 ou 4 GB de RAM instaladas mas no exterior, principalmente entre algumas marcas chinesa, já existem celulares de 6 e mesmo 8 GB de memória RAM.

Atualmente smartphones com menos de 2 GB de RAM podem apresentar travamentos e lentidão em aplicativos mais exigentes.

 

Memória de Armazenamento

Normalmente é o dado que os vendedores mais gostam de apregoar. Os smartphones de categoria superior já vem de fábrica com opções de 32, 64, 128 e até 256 GB. Essa é a memória que vai ser usada para armazenar internamente aplicativos, dados pessoais, fotografia e vídeos (caso você não use um cartão de memória externo). Também é onde fica armazenado o software de sistema do smartphone.

Smartphones com 8 ou até mesmo 16 GB de armazenamento interno são a garantia de que você vai ter problemas se começar a receber muitos vídeos e imagens do Whatsapp ou instalar muitos aplicativos. Sabe aquele aviso irritante dizendo que você não tem memória livre o suficiente para instalar um aplicativo ou rodar um aplicativo? É esse o problema…

Ah, e tentar limpar a memória do smartphone as vezes não resolve o problema pois muita gente precisa de tudo o que tem instalado, não dá para apagar nada.

 

Memória de Armazenamento Externo

Muitos smartphones tem a possibilidade de adicionar uma memória externa, do tipo Micro SD, para ampliar a possibilidade de armazenamento de dados do equipamento.

Normalmente você pode configurar se quer que fotos, vídeos e arquivos de alguns aplicativos sejam gravados na memória externa mas, por incrível que pareça, alguns fabricantes criam dificuldades para essa função.

É que como alguns cartões de memória são lentos isso pode causar travamentos e erros de gravação que o usuário acaba imputando ao fabricante e não ao cartão Micro SD. Para se proteger esses fabricantes colocam limitações no sistema operacional e aí você não consegue usar a memória externa como gostaria.

Esse é o caso, por exemplo, da função que à partir do Android 6.0, permite formatar um cartão SD para funcionar como memória interna. Caso seu smartphone possibilite a função, ao instalar o cartão você verá um aviso perguntando se você quer usar a memória como armazenamento portátil (para transferir as imagens, o uso comum do cartão) ou como memória interna, o que irá formatar o cartão fazendo que ele não possa mais ser lido externamente (a não ser que você o formate novamente, né!).

Alguns fabricantes como a Samsung não permitem o uso dessa função o que, digo por experiência própria, é muito chato. Mas já salvei um outro aparelho “Xing Ling” de ser jogado no lixo ao instalar nele um Android 6.1 e formatar um cartão SD de 32 GB como memória interna. Ficou uma maravilha!

Você só tem que ter um único cuidado ao utilizar cartões SD: compre o de maior velocidade de gravação possível, preferencialmente um de Classe 10.

Para entender melhor como funciona um cartão SD veja a matéria que postei aqui no Blog.

 

Processador

Esse é um dado muito técnico que não vale muito a pena discutir por aqui até porque os fabricantes, para se protegerem, acabam colocando o processador com o melhor custo benefício para seus equipamentos. Até hoje o que mais encontrei foi smartphone com problemas de falta de memória RAM e memória interna então acho que dá para confiar nos fabricantes quanto ao tipo e velocidade do processador.

Não esquente muito a cabeça com isso, a não ser que você queira muito usar jogos avançados no smartphone. Nesse caso me desculpem, esse não é o foco dessa matéria.

 

Câmera

Ah, cheguei em nossa questão principal. Atualmente os smartphones de categoria superior apresentam sensores de 12, 16 e até mesmo 20 Megapixels (em alguns aparelhos importados). Alguns poucos smartphones “topo de linha” apresentam sensores de 12 Megapixels de alta sensibilidade no escuro, então não é só o tamanho que é documento.

Sensores com 8 Megapixels ( e até menores) já são encontrados somente em smartphones “de entrada”, os mais simples. Algumas dessas câmeras tem bastante qualidade então veja uma demonstração antes de se decidir. Além disso, se possível, transfira as imagens de teste para algum outro aparelho que tenha uma tela melhor. As vezes smartphones mais baratos tiram boas fotografias mas mostram a imagem numa tela de baixa qualidade o que faz com que julguemos mal a qualidade das fotografias.

Ah, e não se esqueça: algumas marcas utilizam lentes projetadas por grandes empresas do mercado fotográfico, como a Zeiss, a Hasselblad ou a Leica. Os fabricantes gostam de alardear esse fato então não é difícil descobrir se o smartphone escolhido tem partes óticas mais sofisticadas. No entanto isso não é garantia de melhor imagem pois existem muitas críticas às fotografias obtidas pelo acessório de câmera que a Hasselblad produziu para a linha Moto Z da Motorola.

 

Espero ter ajudado um pouco, se bem que tenho a impressão que deixei minha amiga mais confusa ainda…

Boa sorte!