Canon lança a nova câmera EOS EOS 6D Mark II

A Canon aproveitou o National Camera Day americano para lançar enfim a esperada atualização da sua câmera EOS 6D, oficialmente chamada EOS 6D Mark II.

Eu confesso que fiquei atordoado com tanta informação veiculada pela imprensa internacional num único dia. De tentativas de análise de modelos ainda em pré-produção, vídeos do tipo “Hands on” (em mãos) ou “first look” (primeira vista) até longas e profundas análises mercadológicas, encontrei de tudo.

Fiquei exausto pensando se deveria ou não escrever sobre a Canon EOS 6D Mark II no próprio dia do lançamento afinal tão cedo não vou ter uma em mãos, mas como morar no Brasil é como morar em outro planeta resolvi fazer uma compilação do que descobri.

 

Nova Canon EOS 6D Mark II

 

A Câmera

Depois de 5 anos do lançamento da versão anterior, a EOS 6D, a Canon não mudou a aparência da câmera mas fez algumas atualizações bem significativas.

Segundo a Dpreview, que como sempre recebe o últimos lançamentos de câmeras para análise em primeiro lugar, a atualização mais importante da câmera Canon EOS 6D Mark II é o novo sensor de 26.2MP “full frame”, que possui agora Auto Foco Dual Pixel acoplado a um processador de imagem DIGIC 7. A câmera tem sensibilidade ISO superior a 40.000 e usa o mesmo sensor de medição de RGB + IR de 7560 pixels da Canon EOS 80D de sensor APS-C. Através do visor a câmera oferece um sistema de AF com 45 pontos cruzados. A câmera pode alcançar uma velocidade de disparo de até 6,5 fps quando o AF servo (auto foco contínuo) é usado.

 

Dimensões da Canon EOS 6D Mark II em relação a mãos humanas

 

Ainda segundo o site a principal diferença física entre o 6D Mark II e sua antecessora é a adição de um LCD com tela sensível ao toque de 3 polegadas totalmente articulável. Uma coisa que a Canon não adicionou ao equipamento é um joystick de configuração do ponto de foco, uma característica cada vez mais comum em outras câmeras da mesma categoria. A Canon EOS 6D Mark II também tem o corpo vedado contra poeira e umidade.

Tela vari-angle da nova Canon EOS 6D Mark II

 

A capacidade de gravar vídeo é de 1080/60p (HD), não apresentando a cada vez mais comum resolução 4K. A Canon EOS 6D Mark II oferece um conjunto completo de funções “wireless”, incluindo NFC e Bluetooth. Como em sua antecessora o GPS é integrado ao corpo da câmera. A bateria é a mesma NP-E6N que outras DSLRs da Canon usam e uma empunhadura opcional com bateria extra será oferecida por US$ 300.

A EOS 6D Mark II estará à venda no mercado internacional em agosto por US$ 1999 somente o corpo, US$ 2599 no kit com uma lente Canon 24-105mm F4.5-5.6 IS STM ou por US$ 3099 no kit com a lente24-105mm F4 L IS II USM.

 

Principais Prós

Evidentemente o novo sensor de 26 megapixels atualiza o tamanho da imagem da linha EOS 6D, afinal o mercado fotográfico já se acostumou a refazer a composição de fotografias que, se fossem obtidas em menor resolução, não poderiam mais ser utilizadas.

Eu mesmo tomo mais cuidado ao disparar uma câmera com menos de 16 Megapixels do que com uma acima de 20 ou 24 megapixels pois posso posteriormente recortar e editar a imagem sem grande perda de qualidade ou possibilidade de ampliação na impressão.

De resto ainda não há informação sobre o comportamento desse sensor, no entanto a elevação da sensibilidade ISO também aproxima a nova versão dos equipamentos concorrentes.

 

Comparação da sensibilidade ISO na Canon EOS 6D Mark II

 

A tela “touchscreen” do tipo “vari-angle” é uma novidade e tanto pois as outras câmeras DSLR com sensor “Full Frame” que apresentam uma tela móvel usam o sistema “tilt screen” caso da Nikon d750 ou o sistema “flexible-tilt” da Pentax K1. O sistema “vari-angle” é mais versátil e é encontrado em câmeras de todas as categorias, desde DSLR mais baratas, Mirrorless ou mesmo câmeras compactas.

De resto uma das características mais interessantes da nova câmera é o fato da Canon não ter mudado em quase nada o corpo e controles em relação à anterior EOS 6D. Um fotógrafo acostumado com o equipamento anterior pega a nova câmera e sai fotografando sem precisar se acostumar com novos controles.

 

Principais contras

O novo lançamento da Canon não é unanimidade entre os especialistas da área e muitos tem apontado que o “buffer”, aquela memória interna que permite que possamos fotografar várias imagens rapidamente sem precisarmos esperar que elas sejam gravadas na memória SD, é muito pequeno.

Segundo Tony Northrup o buffer da Canon EOS 6D Mark II permite fotografar continuamente 150 imagens em JPG ou 25 imagens no formato RAW antes que a velocidade de gravação impeça disparos rápidos do obturador. Segundo o analista, mesmo com a velocidade relativamente pequena de disparo de 6,5 quadros por segundo, a memória interna é insuficiente para o uso profissional da câmera na área de esportes ou vida selvagem.

O que ele quer dizer é que com essa velocidade podemos acabar perdendo aquela oportunidade de imagem perfeita em um jogo de futebol ou no ataque de um animal selvagem, pois a câmera estará ocupada gravando as imagens anteriormente obtidas.

Outro problema que Tony Northrup levanta é que a falta de entrada para dois cartões de memórias simultâneos não é mais aceitável por profissionais já que esse é um recurso muito utilizado atualmente.

A gravação duplicada de imagens em dois cartões de memória ao mesmo tempo se tornou padrão pois esse recurso evita que, caso haja uma falha na gravação em um dos cartões, o outro funcione como um backup.

Pode parecer um exagero mas imaginem um fotógrafo que informa seus clientes recém casados que por causa de uma falha de gravação eles não vão ter recordações fotográficas de seu casamento…

Isso já aconteceu comigo com uma série de fotos de Barcelona que até agora considero insubstituíveis e que só existem atualmente na minha “falha” memória.

A gravação de vídeo apenas em HD e não em 4k, resolução que está se tornando padrão no mercado, também é um problema segundo muitos analistas. Um dos argumentos é de que o ciclo de vida de um equipamento desses até a próxima atualização é de aproximadamente 5 anos. Tony Northurp faz uma provocação ao perguntar se daqui a cinco anos quando o padrão deverá ter até superado os 8k a Canon EOS 6D Mark II ainda será vendável.

 

Still do vídeo oficial de lançamento da Canon EOS 6D Mark II com exemplo de fotografia com pouca iluminação

 

Concluindo algumas coisas

Mesmo considerando que a Canon EOS 6D Mark II é a nova câmera com sensor “Full Frame” de entrada da empresa não é possível deixarmos de fazer algumas comparações com outras câmeras DSLR ou mesmo câmeras Mirrorless.

Um ponto que vários analistas colocaram é a relação custo benefício do novo equipamento que não consegue competir com a concorrência. A Fujifilm X-T2 é sempre citada apesar de ter sensor APS-C e as câmeras Mirrorless da Sony com sensor Full Frame acabam oferecendo muito mais capacidade de disparo e auto foco por um pequeno acréscimo de preço.

No Brasil a Canon EOS 6D Mark II deverá ter um lugar cativo entre fotógrafos de eventos (leia o post que escrevi sobre o assunto) e outros profissionais que já tem uma boa coleção de lentes para essa linha, pois fica difícil migrar para outro sistema numa situação de crise como a que vivemos atualmente.

Resta esperar para ver qual o preço que a câmera terá em nosso mercado. Conforme forem saindo as avaliações eu vou atualizando o post, ok?

Ah, e não consegui saber porquê o dia 29 de junho é o Dia Nacional da Câmera nos Estados Unidos. Por incrível que pareça ninguém sabe…

Veja aqui o vídeo oficial de lançamento da Canon USA.

Veja aqui a ótima avaliação do lançamento da Canon EOS 6D Mark II no canal de Tony & Chelsea Northrup.

 

Obs.: O vídeo está em inglês mas como sempre indicamos você pode ativar as legendas automáticas em Português, elas podem ser de muita ajuda para quem não domina essa língua. Note porém que alguns termos técnicos não são bem traduzidos.