Mas afinal de contas o que é Lomografia?

Quando ouvi falar pela primeira vez sobre o termo Lomografia achei que estavam falando de algum procedimento médico e sinceramente pensei que tinha entendido errado.

Depois, quando a Lomografia virou moda entre os Hipsters, aqueles seres modernos, antenados e magros, fiquei até com um pouco de prevenção com esse nome. Então para entender um pouco o que esse “movimento” fotográfico significa e tentar dar um fim nos preconceitos vamos dar uma olhada na história que está por trás disso tudo.

Imagens típicas obtidas por uma câmera Lomo com suas cores fortes, vinhetas e vazamentos de luz

 

Em 1992 um grupo de estudantes de Viena na Austria fundou a Sociedade Lomográfica Internacional após descobrirem a câmera analógica LCA produzida pela LOMO PLC, empresa sediada em São Petersburgo, Rússia. Na realidade tudo começou como uma espécie de brincadeira mas a Lomografia se transformou num movimento artístico através do qual as imagens produzidas por aquele grupo eram expostas em eventos na cidade de Viena e depois em outros países. Rapidamente o movimento artístico acabou se desenvolvendo como uma empresa comercial. Foi dessa forma que surgiu a empresa Lomography em 1995 para ser a única distribuidora da câmera LC-A fora do que sobrou da antiga União Soviética. Um pouco depois a Lomography passou a produzir sua própria gama de câmeras analógicas, filmes e acessórios.

 

Versões da câmera Lomo LCA

 

Um detalhe interessante nessa história é o de que em seu início a Lomography conseguiu um acordo com o vice-prefeito de São Petersburgo da época, o futuro primeiro-ministro russo e presidente Vladimir Putin, para receber uma isenção fiscal que possibilitaria manter a fábrica LOMO em funcionamento pois ela estava quase as portas da falência.

Quanto a questão artística um dos aspectos que levaram aquele grupo de estudantes a se encantar com a pequena câmera LCA da LOMO foi o resultado das imagens obtidas que muitos diziam ser “únicas, coloridas e às vezes desfocadas”.

 

Algumas das câmeras simples fabricadas pela Lomography

 

Segundo a Wikipedia “De maneira semelhante ao conceito do Momento Kodak a filosofia por trás da Lomography é resumida por seu lema :”Não Pense, Apenas Fotografe”. Este lema é acompanhado pelas Dez Regras de Ouro que supostamente encorajariam a espontaneidade e a captura de fotografias em qualquer situação minimizando as considerações técnicas e formais. As câmeras típicas da Lomography são deliberadamente projetada para ter baixa fidelidade de imagem e construção simples. Algumas câmeras usam lentes múltiplas e flashes coloridos tipo “arco-íris” sendo que vários modelos apresentam distorções ópticas extremas e até mesmo vazamentos de luz (light leaks)  A intenção por trás do “estilo lomográfico” é a aceitação de tais deficiências para criar imagens com um caráter único.”

As imagens típicas da Lomografia tem alto contraste e saturação de cor incomuns aproximando-se das fotografias criadas usando a técnica chamada de “cross processing” (processamento cruzado) em que filmes que deveriam ser revelados com químicos para slides (processo E-6 para diapositivos) são processados com química para negativos (processo C-41) e vice-versa. Esta técnica pode ser usada com qualquer câmera de filme e pode ser simulada com alguns softwares de edição de fotos, como GIMP ou Photoshop, além de plug-ins de efeitos especiais.

 

Câmera Lomo Instant que utiliza filmes instantâneos Instax da Fujifilm e conta com lentes acessórias

 

A International Lomographic Society implementou em vários países as chamadas Lomography Gallery Stores, verdadeiras “embaixadas” dedicadas ao fomento, apoio e exposição pública da fotografia analógica. Os clientes interagem através de eventos sociais, como exposições e workshops.

No Brasil a Lomography abriu sua primeira loja online em 2009 seguida por uma Lomography Gallery Store no Rio de Janeiro e outra em São Paulo. No entanto no final de 2013 a empresa anunciou o fechamento dessas lojas e o encerramento de suas operações por aqui. Rumores sobre problemas financeiros da empresa no país e no mundo foram substituídos pelo anuncio do fechamento de lojas também em outros lugares como resultado de uma mudança no foco da empresa.

Atualmente a Lomography tem apenas um representante no Brasil e algumas lojas estratégicas em outros países mas continua a lançar novas câmeras, filmes e acessórios como lentes especiais.

 

Lente Petzval da Lomography acoplada a uma Canon 5D.

 

Por falar nisso a empresa acaba de lançar um projeto de financiamento no Kickstarter.com para um sistema de lentes conversíveis. Esse sistema permite aos usuários conseguir três distâncias focais diferentes apenas trocando os elementos ópticos na metade frontal de uma lente. O Neptune Convertible Art Lens System é composto de uma unidade de quatro elementos que permanece conectada à câmera e três seções frontais intercambiáveis que podem ser trocadas para fornecer distâncias focais de 35mm, 50mm ou 80mm. Veja aqui o vídeo promocional do sistema.

 

 

Talvez o futuro da Lomografia esteja na interface entre o analógico e o digital da mesma forma como na Fujifilm, empresa que acaba de lançar uma câmera de filme instantâneo híbrido digital.

De qualquer maneira as câmeras da Lomography parecem que estão aí para ficar dando ainda mais força para quem gosta da fotografia analógica tradicional como hobby ou como Arte.

Conheça mais sobre a Lomography:

Site: www.lomography.com

Vídeos: Canal do Youtube com equipamentos e tutoriais