PaintShop Pro, um dos mais antigos softwares de imagem existentes

Você se lembra do termo “shareware”? O PaintShop Pro é um sobrevivente dessa época que teve seu auge nos anos 1990 com o início da internet e da computação doméstica.

Shareware é um tipo de software que em princípio é fornecido gratuitamente aos usuários que também são incentivados a compartilhar cópias desse programa com outras pessoas para divulgá-lo. Depois de um tempo eles param de funcionar e é preciso comprar uma licença para utilizá-los ou para liberar novas funcionalidades. Foi assim que o PaintShop Pro ficou famoso.

 

PaintShop Pro X9 Ultimate com tela da função Smart Fix

 

Originalmente chamado simplesmente de Paint Shop, a primeira versão do software lançado por Robert Voit em Agosto de 1990 era simplesmente um conversor básico de imagens entre os formatos BMP, GIF e PCX. Durante muitos anos o software foi distribuído por download ou por disquetes e CDs encartados em revista de informática e computação gráfica. Em Outubro de 2014 a empresa Jasc que desenvolvia o software foi comprada pela Corel Corporation que integrou o PaintShop Pro a sua linha de aplicativos de imagem e introduziu a venda pela sistema de licença de softwares convencional.

Atualmente o PaintShop Pro está na versão X9 além de contar com o pacote X9 Ultimate que também vem com editor RAW, corretor automático para fotos e gravador de tela fazendo com que o aplicativo se torne um editor de imagens completo com a vantagem de custar muito mais barato do que os concorrentes.

Quais são os pontos fortes e fracos do PaintShop Pro?

Prós:

  • Tem funcionalidades do Photoshop a um preço mais baixo.
  • Conta com poderosos efeitos de imagem e ferramentas de edição.
  • Conta com reconhecimento facial.
  • Inclui tutoriais para uso de suas funções.
  • Boa variedade de ferramentas de desenho vetorial tornando-o uma espécie de mini Corel Draw.

Contras:

  • Algumas operações do aplicativo ainda são lentas apesar da melhora na programação.
  • A interface de operação é um tanto confusa.
  • A remoção de aberração cromática não funciona muito bem.

Algumas novidades da versão mais recente do PaintShop Pro são uma nova ferramenta de captura de tela, uma função de preenchimento de gradiente interativo, a inclusão de templates de projetos e o suporte a canetas sensíveis à pressão.

 

Tela da função Gradiente Interativo

 

Outras funções que já faziam parte do software mas que vale a pena mencionar são:

  • Magic Move Tool: ferramenta de reconhecimento de conteúdo que substitui automaticamente o plano de fundo quando você move um objeto ou pessoa.
  • Pincel de Seleção Inteligente: basta pintar sobre um objeto para selecioná-lo, e você pode criar ou reduzir a seleção com pinceladas adicionais.
  • Ferramenta de Seleção Automática: esta ferramenta permite incluir uma área de imagem em um retângulo delimitador que detecta e faz o encaixe da imagem automaticamente.
  • Magic Fill: um recurso de conteúdo que pode fazer desaparecer partes indesejadas de uma imagem.
  • Processamento HDR: cria imagens de alto alcance dinâmico

 

O PaintShop Pro é um software importante pela sua tradição e história. Quem está acostumado com o Lightroom da Adobe vai sentir-se familiarizado com a interface com a diferença de que também poderá criar textos e objetos vetoriais dentro do próprio software.

O PaintShop Pro X9 Ultimate custa aproximadamente R$179,00 na loja da própria Corel e está sendo vendido por download com desconto de 15% com o uso do código EARTH15 (válido apenas por alguns dias). É possível também baixar uma versão de avaliação gratuita por 30 dias. O pacote Ultimate vale a pena em relação ao PaintShop Pro X9 simples pois tem muitos recursos a mais por um custo extra muito pequeno.

Para conhecer um pouco melhor as funções do aplicativo veja o vídeo promocional que a Corel publicou em seu canal no Youtube.

 

Obs.: O vídeo está em inglês mas como sempre indicamos você pode ativar as legendas automáticas em Português, elas podem ser de muita ajuda para quem não domina essa língua. Note porém que alguns termos técnicos não são bem traduzidos.