Sony Awards premia fotógrafos de Arquitetura

Dentre as dez categorias fotográficas diferentes que o Sony World Photography Awards premia a de Arquitetura é uma das mais interessantes. A Arquitetura é um capítulo à parte na história da fotografia e podemos ver suas singularidades nos trabalhos dos ganhadores e selecionados escolhidos na premiação de 2017:

 

1º Lugar

  • Dongni, China

Tema Espaço e cidade

Segundo o autor: “As regras que ordenam uma repetição intensiva regular resumem o sentimento da cidade moderna. Uma variedade de formas urbanas e arquitetura minimalista quebra a estrutura antiga, dividindo-o em triângulos, quadrados e formas de diamante, refratando um novo estilo de vida em estruturas espaciais existentes. Demonstrando um uso livre da linguagem das formas visuais, parece um jogo, semelhante à conjectura de Goldbach; A destruição do modelo ossificado da cidade, uma exploração visual de quebrar as regras. Em um contexto espacial, quando ignoramos a estética da cidade, ignoramos as regras e celebramos a desconstrução e reconstrução do espaço urbano, o próprio espaço nos dá mais controle e acrescenta mais alegria à cidade.”

 

2º Lugar:

  • Julien Chatelin, França

Tema China Ocidental

Segundo o autor: Na China ocidental, o ritmo do desenvolvimento econômico deu início a um novo e inédito período de transformação, que redefiniu radicalmente a topografia do país, deslocando partes significativas de sua população das áreas rurais para vastas mega cidades . As paisagens semi-desertas carregam uma ambivalência profunda, sugerindo ao mesmo tempo fecundidade e esterilidade, uma promessa e um nada. China West é uma exploração visual do impacto que o desenvolvimento econômico teve na paisagem da China Ocidental, concentrando-se no interstício cada vez menor deixado entre natureza e urbanização, um espaço que, talvez mais do que qualquer outro, revela o verdadeiro processo de mudança.

 

3º Lugar:

  • Diego Mayon, Itália

Tema Athens Studio

Segundo o autor:”A prostituição é legal na Grécia e as autoridades gregas decidiram recentemente implementar uma lei de 1999 que estipula que todos os bordéis devem ter permissões. Existem diferentes tipos de bordéis e os de primeira classe são chamados Studio. Há uma série de diferenças em relação a bordéis comuns. Os edifícios são mais discretos, mais limpos e arrumados, e as prostitutas também são mais educadas. O preço também é mais elevado, cerca de 50 euros. Há uma pessoa na entrada que dá boas-vindas aos clientes e uma vez dentro existe uma sala de espera onde as meninas disponíveis exibem-se. Neste lugar o cliente pode decidir se quer ficar ou sair. Se eles decidirem ficar uma negociação começa em relação a preços, serviços e duração do trabalho. Estes bordéis são geralmente reconhecíveis por um sinal em néon cor-de-rosa com a palavra Studio estampado na porta.”

 

Outros Selecionados:

 

  • Adi Bulboacă, Romenia

Tema Silver Beach Hotel

Segundo a autor: Tive a oportunidade de passar 4 dias no Silver Beach Hotel em novembro 2016, na costa do Lago Balaton, Hungria. O hotel é um resort de verão e estive por lá fora da temporada de férias enquanto trabalhava como fotógrafo adjunto em uma filmagem. Construído entre 1978 e 1983 o hotel foi projetado pelo arquiteto brutalista Tillai ErnÅ. Todos os quartos estavam obviamente desocupados portanto consegui explorar o resort a meu bel prazer. O lugar tem algo de retrô no sentir e uma ambientação calmante que espero tenha sido capaz de capturar. Fiquei fascinado como o ambiente anacrônico do hotel poderia ser convidativo.”

 

  • Alessandro Piredda, Itália

Tema Darkitectures

Segundo o autor: “Darkitectures é uma série de imagens da arquitetura italiana mais significativa de um ponto de vista artístico, capturadas à noite. A memória voluntária dessas imagens é um lembrete da pedra não em sua matéria sem vida mas como a continuação do momento vital nas formas. Todo o projeto está destinado a ser um trabalho em andamento.”

 

  • Alissa Everett, USA

Tema Home Bleak Home

Segundo o autor:”Os campos de refugiados no norte do Iraque são o lar de milhares de pessoas Yazidi deslocadas internamente em seu território. Os Yazidis são uma cultura antiga, com ricas tradições, rituais intrincados e festivais coloridos que foram deslocados de sua pátria espiritual pela disseminação do ISIS. Os acampamentos são sombrios, cheios de linhas retas e locais indescritíveis. O layout é opressivamente regular, a arquitetura tem monótona funcionalidade, com cores dentro dos inescapáveis tons de cinza e o azul pálido. Juntos, esses elementos se combinam em um ambiente impessoal criado pelo homem, um lugar desumanizante que torna a criatividade quase impossível e leva à perda da individualidade. É uma realidade inventada, um lugar que parece não ter localização, aprisionando pessoas sem nenhuma nação.

 

  • Marvin Systermans, Alemanha

Tema Glaube, Sitte, Heimat (Faith, Custom, Home)

Segundo o autor:”No meu trabalho estava preocupado com a mudança estrutural nos lugares onde os cidadãos da cidade de Arnsberg e arredores se encontravam e reuniam. O resultado é uma investigação estética de lugares que se situam entre tradição e a modernidade. São lugares igualmente empenhados na preservação bem como na satisfação das novas necessidades de uma região com alterações estruturais e demográficas. Eu desenvolvi a série em outubro de 2016 no âmbito de um projeto do Westfalenpost, um jornal diário regional em Südwestfalen, na Alemanha. Algumas das fotos foram publicadas no jornal, mas não a série inteira.

 

  • Zsolt Hlinka, Hungria

Tema Urban Symmetry

Segundo o autor: “Urban Symmetry apresenta edifícios nas margens do rio Danúbio, que são enfatizados fora de seus arredores e colocados num espaço à prova de som, homogêneo e limpo de toda a informação exterior. No entanto, a série não pode ser considerada como um estudo estéril porque não retrata a realidade crua: se você obter uma visão mais próxima das fotografias pode-se descobrir que nenhuma das imagens mostram o edifício em sua forma completa, mas apenas a sua parte refletida. Afinal esses edifícios fictícios que vêm à existência com perfeição capturam e condensam seu caráter original em si mesmos, como se pudesse-mos ver rostos humanos e personalidades diferentes nos retratos da construção.”

 

Você pode ver as outras imagens dos premiados e selecionados na página sobre Arquitetura do Sony World Photography Awards.