Escolhendo o cartão de memória certo para sua câmera digital ou smartphone

Você acabou de comprar aquela câmera esperta ou aquele celular de última geração e aí o vendedor pergunta se você precisa de um cartão de memória. Você muito humildemente fala “Ah, qualquer cartãozinho serve…”. A coisa não é bem assim não, uma escolha mal feita ou um cartão de memória barato podem fazer com que você não tenha a rapidez que a sua câmera precisa para guardar as imagens ou até mesmo dar algum problema no seu equipamento.



Então que tal entender um pouco mais desses cartõezinhos tão necessários para nossa vida fotográfica.

 

Galaxy S7 com a gaveta para cartão MicroSD e SIM card aberta



Atualmente os formatos mais populares são os seguintes:

  • Cartões de memória SD (Secure Digital): Os cartões SD são de longe o tipo mais comum de cartão de memória e atualmente são compatíveis com a maioria das câmeras digitais e smartphones (normalmente na versão micro, com adaptador). Os mais simples produzidos originalmente vinham com capacidades menores de armazenamento (até 2GB) e velocidade de leitura. Os do tipo SDHC (Secure Digital High Capacity) surgidos depois são cartões de melhor desempenho e tem uma capacidade máxima de 32GB. Eles são idênticos em forma e tamanho mas eles são diferentes tipos de mídia portanto cuidado para não fazer confusão ao comprá-los. Embora sua câmera possa receber um cartão do tipo SDHC fisicamente (eles tem o mesmo formato) tenha cuidado pois se a câmera foi produzida antes do surgimento do SDHC ela pode não reconhecê-lo. E atualmente existe também o cartão do tipo SDXC (Secure Digital ‘Xtra Capacity’), com muito mais capacidade e rapidez (até 2TB Terabytes, um verdadeiro HD). São muito mais caros e difíceis de encontrar e por incrível que pareça também tem o mesmo formato original do cartão SD. Esse novo cartão atualmente só é reconhecido por câmeras muito sofisticadas e computadores com sistemas operacional atualizado que possa ler o sistema  de arquivos exFAT. Como é um cartão muito mais caro é você provavelmente não vai comprar sem querer saber se ele é compatível com seu equipamento.

 

Cartão Micro SD com adaptador para cartão SD



  • Cartões de Memória CompactFlash (CF): os primeiros cartões de memória desenvolvidos para câmeras digitais eram do tipo CompactFlash (CF) e foram introduzidos no mercado pela Sandisk já em 1994. Inicialmente contavam com capacidade até 256 Mb e baixas taxas de transferência mas continuaram evoluindo e atualmente oferecem capacidades de armazenamento muito elevadas e tempos de processamento rápidos apesar de manter o mesmo formato original (um pouco mais que o dobro do tamanho de um cartão SD). Atualmente eles são utilizados apenas nas câmeras DSLRs mais avançadas, geralmente nas que contam com sensor Full Frame .Como é uma tecnologia muito bem estabelecida a Canon escolheu os cartões CompactFlash como mídia de gravação para uso em sua nova linha de câmeras de vídeo HD para uso profissional.

 

Câmera Canon 7D que aceita cartões SD (no primeio slot) e CompactFlash (no segundo slot)



Qual o melhor cartão para mim:

  • Se você é um amador ou usa um smartphone relativamente simples: Se você está apenas começando a fotografar ou usa a câmera do smartphone como uma espécie de hobby então a característica mais importante a ser levada em conta ao comprar um cartão é a sua capacidade de armazenamento. A maioria dos fabricantes de câmeras e cartões de memória divulga tabelas mostrando quantas imagens você pode salvar em um determinado modelo de cartão mas diferentes tipos de arquivos, compactação e resolução da imagem afetam o tamanho de cada arquivo, portanto, o número de imagens que você pode colocar em um cartão numa determinada câmera ou smartphone raramente é o mesmo que em um outro equipamento diferente. Você pode considerar que uma memória de baixo preço com capacidade entre 8GB e 16GB de armazenamento é mais do que suficiente para um fotógrafo amador usando uma câmera ou smartphone mediano.

 

  • Se você é um profissional ou entusiasta: na fotografia avançada é preciso considerar alguns itens importantes que vão influenciar em nossa velocidade de leitura e gravação do cartão já que a maioria das câmeras DSLRs e Mirrorless podem produzir arquivos do tipo RAW bem grandes, gravar vídeos em HD e 4K ou capturar vários disparos rapidamente e de maneira contínua. Essas necessidades fazem com seja preciso um cartão de memória que esteja apto a receber tanta informação de maneira rápida e confiável. Isso é muito importante para os profissionais pois a confiabilidade de um cartão em condições extremas de uso é maneira de evitar o risco de perder todas as fotos em um determinado trabalho. Esse risco pode ser calculado ao observamos um dado que os fabricantes indicam nos seus melhores produtos, o chamado tempo médio antes da falha (MTBF). A SanDisk por exemplo reivindica um MTBF de mais de 1.000.000 de horas de uso para seus cartões de memória mais avançados. Será?



Um pouco mais sobre a velocidade dos cartões de memória:

A velocidade de leitura define qual é a rapidez com que os dados podem ser retirados da memória para uso. Essa é uma característica importante quando transferimos o conteúdo de um cartão para um computador ou uma impressoras, por exemplo. Uma velocidade de leitura mais rápida irá transferir imagens para o seu computador mais rapidamente, sendo que esse aspecto é influenciado também pela forma como o cartão SD é ligado ao seu equipamento externo (USB, leitor de cartões, etc…).

A velocidade de escrita define a rapidez com que as imagens podem ser salvas no cartão de memória o que é importante ao se fotografar em modo de fotografia contínua, vídeo HD e 4K ou ao usar câmeras de alta resolução que geram arquivos particularmente grandes.



Então, se você está fotografando esportes especialmente em modo de disparo contínuo (Burst Mode), você precisará de um cartão com uma velocidade de escrita bem rápida.

Atualmente a indicação da velocidade de leitura ou gravação é feita com marcas inscritas no próprio cartão de memória através de um sistema de classes criadas por uma associação internacional.  Por esse sistema um cartão de classe 2 (o mais comum e barato) pode lidar com a escrita sustentada de dados a uma taxa de 2MB seg. Já um cartão da classe 4 atinge até 4MB/seg. Um cartão de classe 8 chega até 8MB/seg e assim por diante. É bom lembrar que essas taxas de transferência são as taxas mínimas e não as reais. É perfeitamente possível que um cartão SDXC classe 4 seja marcado com taxa de até 15MB/seg em seu exterior sem que essa velocidade seja sustentável o tempo todo portanto é bom conhecer a reputação do fabricante para não comprar “gato por lebre”.

 

Conclusões:

Se você não é um profissional cartões de memória para câmeras e celulares não vão ser um grande problema. Existem marcas boas e baratas no mercado brasileiro. Agora se você é um profissional ou se suas fotos estão aparecendo com erro de leitura ou gravação (a imagem não grava inteira ou fica com falhas apesar de poder ser aberta no computador) faça um teste e troque a memória. As vezes não é um problema da câmera mas sim daquele cartão SD falsificado que você comprou por simples desejo de economizar.

Sobre o assunto veja também o vídeo do canal Video DSLR Tutorial que apesar de simples é bem completo.

Obs.: O video está em inglês mas como sempre indicamos você pode ativar as legendas automáticas em Português, elas podem ser de muita ajuda para quem não domina essa língua. Note porém que alguns termos técnicos não são bem traduzidos.