Como funcionam os filtros de simulação de filmes da Fujifilm

Você já ouviu falar dos filmes Provia, Velvia ou Astia da marca Fujifilm? Quem é mais velhinho já deve ter fotografado com um desses filmes e pode até ter saudade do resultado que eles produziam nas fotografias. Pois bem, e se fosse possível fotografar em uma câmera digital que produz imagens com a mesma ” cara” que esses negativos produziam?

Pois isso existe! Uma característica interessante das câmeras digitais da série X da própria Fujifilm é a possibilidade de escolher dentre alguns tipos de simulação de filmes analógicos tradicionais da própria marca que são aplicados diretamente nos arquivos JPGs finais gravados pelo equipamento. O resultado é bem interessante e tem feito com que muitos fotógrafos profissionais começassem a utilizar os arquivos JPG da Fuji diretamente em seus trabalhos, sem editar os arquivos RAW.

 

Fotos Deron Chang – 2012

 

Vamos ver quais são os simuladores de filme Fuji da série X de câmeras Mirrorless:

  • Provia: é o simulador padrão da Fuji, todo JPG da marca é gravado com suas configurações por padrão. Originalmente o filme Provia era do tipo reverso, para “slides”. Suas cores eram balanceadas para a luz do dia e era o menos contrastado e saturado filme da Fuji. Suas cores eram altamente permanentes e resistente ao desbotamento. O simulador Provia portanto produz imagens menos saturadas e mais naturais com leve granulação quando utilizada com sensibilidades ISO mais altas.

 

  • Velvia: Originalmente  o filme Velvia era orientado ao público profissional e também era do tipo reverso com cores balanceadas para a luz do dia. Era conhecido pela grande saturação de cor e alto nível de qualidade. Seu nome é uma contração de “Velvet Media”, uma referência à sua estrutura de imagem suave e agradável. O simulador Velvia da Fuji apresenta as mesmas cores vivas do filme sendo uma boa escolha para fotografia de paisagens mas talvez não seja a melhor escolha para fotografia de retratos pois produz tons de pele pouco naturais.

 

  • Astia: mais um filme do tipo reverso com cores balanceadas para a luz do dia. A diferença do Astia para os outros filmes Fujichrome é de que além de apresentar uma granulação muito fina reproduzia detalhadamente tons de pele e tons delicados mesmo sob iluminação mista criando imagens de grande sofisticação. Era muito utilizado para fotografia de Moda, retratos, interiores e fotografia de produtos. O simulador da Fuji cria nos arquivos JPG essas mesmas características sendo ideal para revelar tons complexos como os encontrados nas flores.

 

  • Classic Chrome: esse filtro não reproduz nenhum filme Fujichrome específico mas replica os velhos filmes de cromo dos primeiros dias da fotografia. O filtro Classic Chrome produz uma cor suave reforçando as sombras para criar uma imagem de aparência calma e com cara de antiga. Mesmo assim a fotografia continua apresentando alta qualidade de imagem e é um dos filtros preferidos pelos fotógrafos de eventos e casamentos que utilizam as câmeras digitais da linha X da Fuji.

 

  • ProNeg High: mais um filtro genérico, simula um negativo do tipo profissional que é bom para retratos onde seja necessária uma reprodução de cor correta. O filtro melhora o contraste ligeiramente em toda a área da imagem.

 

  • ProNeg Standard: filtro genérico que simula um negativo do tipo profissional bom para quem pretende fazer correções de cor na pós-produção. É conhecido pelas gradações suaves da cor e belos tons de pele que produz.

 

  • Monochrome: filtro monocromático básico que pode ser configurado para retirar as cores verde, vermelho e amarelo separadamente da fotografia em preto e branco produzida.

 

  • Acros: originalmente o filme Neopan Acros é um negativo em preto e branco de velocidade média e alta qualidade de imagem reconhecido por apresentar o melhor padrão nos grãos entre os filmes de ISO 100. O simulador Acros reproduz imagens em preto e branco de rica gradação de tons e grande nitidez. Também pode ser configurado para aplicar os filtros verde, vermelho e amarelo na produção da imagem em preto e branco.

 

Comparativo de filtros nativos da Fujifilm XT-2

 

Os filtros de simulação de cor que as câmeras da Fujifilm apresentam criam muitas possibilidades novas para os fotógrafos.  A sensação de que as imagens obtidas pela câmera podem ser utilizadas como produto final é muito grande e são vários os casos de profissionais que abandonaram totalmente a necessidade de pós-produção das fotos.

Eu mesmo, quando fotografo com essas câmeras acabo utilizando o JPG produzido por elas pois poucas vezes consegui um resultado melhor ao manipular o arquivo RAW da Fujifilm no Photoshop.

Se essa tendência continuar em breve veremos outros fabricantes implantando essa funcionalidade em suas câmeras.

Já pensou, fotografar simulando um filme Ilford ou Kodak direto de sua câmera DSLR Canon?