Como fazer para fotografar fogos de artifício

O ano está acabando e as festas são o momento perfeito para se fotografar fogos de artifício mas aí surge aquele problema de sempre: como é que eu faço?

Quem já passou por essa experiência sabe que esse tipo de fotografia pode resultar facilmente em borrões coloridos que nem de perto reproduzem a beleza que é a queima desses artefatos num céu noturno. Então se você pretende ter alguma chance em conseguir uma boa imagem desse tipo de espetáculo é bom rever algumas dicas.

Fogos de Artifício sobre a Zona Oeste de Sãp Paulo - 2013 - Foto Ricardo Hage
Fogos de Artifício sobre a Zona Oeste de São Paulo – 2013 – Foto Ricardo Hage

 

Fotografando com câmeras compactas e celulares: alguns desses equipamentos tem modos automáticos já programados para captar fogos de artifício. Esse tipo de programação pode funcionar das mais variadas maneiras. Câmeras que tem mais sensibilidade podem tirar rapidamente várias fotos e combina-las em uma única imagem, captando assim o brilho e o movimento dos rastros dos fogos. Esse é o caso das compactas da Panasonic, Leica e Olympus. No caso de smartphones a maioria tem algum modo de fotografia noturna ou paisagem noturna. Nesse modo a câmera geralmente mantém o obturador aberto por mais tempo então aperte o disparador e pare de respirar para não tremer a imagem. O Galaxy S7 e o iPhone7 tem uma sensibilidade maior a luz então talvez seja possível conseguir uma imagem boa mesmo sem o uso de tripé. De qualquer maneira não é fácil conseguir uma imagem satisfatória com esses equipamentos então relaxe, talvez com muita calma você consiga uma fotografia memorável de fogos de artifício.

Fogos na praia de Pitangueiras, Guarujá, obtida com Nikon 990 em 2004
Fogos na praia de Pitangueiras, Guarujá, obtida com Nikon 990 em 2004

Fotografando com DSLRs e Mirroless: câmeras semi e profissionais tem algumas vantagens mas são equipamentos que você tem que saber usar para conseguir um resultado bom. Claro que é sempre possível colocar a câmera em modo automático mas isso não significa que ela vai “saber” que você está fotografando fogos de artifício. Então parta sempre dos seguintes princípios:

  • Use um tripé. É possível conseguir imagens estáveis sem esse equipamento mas você tem que ser praticamente um X-Men!
  • Use a menor sensibilidade ISO possível para evitar ruídos e ajudar a aumentar o tempo de exposição.
  • Use um cabo ou controle remoto como disparador, para evitar tremer a câmera. Hoje em dia também é possível utilizar um aplicativo para disparar a câmera por WIFI ou, em último caso (uso muito) use o disparador com retardo de 2 a 10 segundos. Você aperta o botão e até lá a tremida já passou.
  • Muitas câmeras tem um negócio chamado Long Exposure Noise Reduction, ou Redução de Ruídos em Exposições Longas. O nome do sistema já explica o processo por si mesmo então deixe ligado.
  • Capte a imagem em arquivo RAW (negativo digital) ou em JPGs de alta qualidade, para evitar degradação na qualidade da fotografia final
  • Use aberturas de obturador estreitas, acima de f/11 ou f/9 dependendo do modelo da câmera, para que o foco atinja uma boa profundidade de campo. Fogos desfocados ficam um horror…
  • Em vez de escolher uma velocidade de obturador qualquer, defina a câmara para modo Bulb (B, caso a câmera permita). Assim é possível manter o obturador aberto o tempo que você quiser. Faça com que a exposição acompanhe toda a explosão de fogos de artifício para poder captar todo os trilhos luminosos. Você pode até mesmo manter o obturador aberto para captar explosões múltiplas.
  • Desligue o foco automático, caso contrário você poderá ter dificuldade em fixar o foco no ponto de interesse. Focalize manualmente sua lente para o infinito, é mais fácil.
Fogos sobre a Zona Norte ao entardecer nublado - 2016 - Foto Ricardo Hage
Fogos sobre a Zona Norte ao entardecer nublado – 2016 – Foto Ricardo Hage

 

Tratamento de imagem: não fique achando que a imagem que sair de sua câmera vai estar perfeita. Fotos de fogos de artifício num ambiente noturno podem precisar de Photoshop para revelar toda a beleza que foi captada. Em primeiro lugar tente usar o filtro do Camera RAW do aplicativo no automático para tentar “revelar” mais da imagem. Se não conseguir nada do seu agrado deslize os controles manualmente ou então utilize um dos inúmeros filtros de efeitos. Você pode usar por exemplo os filtros do Nik Collection do Google, que além de sofisticados são gratuitos para instalação, basta fazer o download.

Outro truque possível na pós produção da imagem é o de usar o comando de combinação de imagens automáticas do Photoshop. Você tira varias fotografias em sequência e na mesma posição de momentos diferentes do rastro dos fogos e então combina as imagens em uma única e espetacular imagem. O comando é fácil de usar, basta importar as várias imagens em camadas, rasterizá-las (para que sejam incorporadas num mesmo arquivo) e então combina-las com alinhamento automático. Tem vários tutoriais na Internet e enquanto eu não faço o meu você pode dar uma olhada aqui.

 

Foto final da combinação de várias exposições - Final entre Palmeiras e Chapecoense 2016 - Foto Ricardo Hage
Combinação de várias exposições – Final entre Palmeiras e Chapecoense 2016 – Foto Ricardo Hage