Ainda vale a pena comprar uma Fujifilm XT-1?

Com o recente lançamento da Fuji XT-2, a nova camera “Flagship” da Fujifilm, os usuários da XT-1 começam a ser perguntar se devem fazer o upgrade. Como estamos no Brasil o que torna as coisas sempre mais difíceis é preciso levar muito em consideração. Vejamos as mudanças principais:

A XT-2 atualiza o sensor X-trans APS-C exclusivo da Fuji dos 16Mpx para 24Mpx. Em primeiro lugar devemos levar em conta que a própria empresa divulga que seu sensor de 16Mpx cria imagens de IQ (image quality) semelhantes a sensores full frame (equivalente aos filmes de 35mm). Quem já utilizou uma camera X-trans sabe do que estou falando, isso sem falar da qualidade e resolução das lentes próprias da marca. Então nesse sentido se o fotógrafo está satisfeito com o resultado atual das imagens e não precisa “cropar” muito ou ampliar demais as fotografias não vejo muito sentido em trocar o equipamento agora.

A sensibilidade do novo sensor também passa de ISO 6400 para ISO 12800 com expansibilidade de ISO 51200. No padrão Fuji isso significa que agora poderemos usar o limite de 12800 praticamente sem ruído, característica que era encontrada na XT-1 até ISO 6400, o que já era um recorde para cameras APS-C. Se você fotografa muito sob pouca iluminação, à noite ou precisa de velocidades mais altas do disparador vale a pena o upgrade.

Quanto ao sistema de foco a Fuji fez grandes avanços. A XT-1 já tinha recebido um upgrade de firmware que resolvia muitos dos problemas de AF-Tracking que a camera apresentava mas agora a XT-2 aumenta para 65% a área do sensor coberta pelo detetor de contraste o que melhora muito a capacidade de auto foco continuo da camera. Se você gosta de fotografar vida selvagem ou esportes o upgrade pode valer a pena.

A gravação de video nunca foi o forte das cameras da linha Fuji X mas agora a empresa resolveu mudar o rumo. A XT-2 vem com video em 4K e resolução de 3840 x 2160p. Ela pode gravar em 30 frames por segundo a uma taxa de 100Mbps e em FullHD chega a um máximo de 60fps. A gravação também pode ser obtida por HDMI sem compressão. Se você precisa de video pode ser uma nova opção.

Existem muitas outras caraterísticas importantes na escolha de um upgrade da XT-1 para a XT-2 mas o preço pode ser um fator muito importante a considerar. A XT-2 foi lançada com preço inicial até $300.00 dolares mais cara do que a A XT-1, levando a camera a um patamar próximo as cameras full frame e equivalente a mais barata delas, a Pentax K-1. Isso indica que o nicho de mercado em que a Fujifilm quer colocar a XT-2 é a da fotografia do entusiasta avançado ou a do profissional fotográfico.

Como estamos no Brasil onde devido aos impostos e ao cambio as cameras chegam a dobrar de preço (quando não triplicar) vale a pena pensar muito sobre o assunto. Aqui um fotógrafo amador munido com uma XT-1 pode estar muito melhor equipado que um fotografo profissional que só tem acesso as cameras de entrada de marcas como Canon e Nikon ou a cameras antigas e desatualizadas.

A Fujifilm XT-2 ainda tem problemas de disponibilidade no exterior por causa do terremoto de Kumamoto no Japão, que paralisou a fábrica de sensores da Sony, fabricante do chip da Fuji. Enquanto o fornecimento não se estabilizar no exterior deve ser improvável que a nova camera seja lançada em nosso mercado. Só então poderemos saber qual será a política de preços da Fuji no Brasil.

Vamos esperar para ver.